sábado, 9 de outubro de 2010

Fim da terceira semana!

Uau, um terço do treinamento concluído! A semana foi cheia de aulas de yoga, anatomia, posture clinics e, diferentemente das últimas duas semanas, não tivemos a noite de sexta-feira livre. Mesmo assim, terminei a semana com pique - como a maioria das pessoas - por um motivo bem simples: sono. Fomos liberados todas as noites por volta das 23h, 23h30, o que nos deu tempo para dormir entre um dia cheio e outro. Aliás, um professor de um outro treinamento disse para um dos meus colegas (Cassiano, um outro brasileiro que mora em Londres e está fazendo o curso) que tivemos sorte que o Bikram não está aqui na terceira semana, o que significaria que após as posture clinics, às 23h30, teríamos de voltar à nossa tenda para assistir aos tão famosos filmes de Bollywood até às 2h ou 3h da matina. Pelo menos, temos mais uma semana de sono antes da volta do guru!

Acho que não tinha mencionado ainda a palavra tenda, ou se mencionei, não expliquei. No estacionamento do hotel foi montada a "Bikram Village" para nós, que consiste basicamente de duas imensas tendas: uma é a que vocês viram nas fotos, cheias de cadeiras e com o palco, onde são realizadas as palestras e onde assistimos aos "emocionantes" filmes indianos; a outra é a sala de yoga, que vocês também já viram nas fotos. No próximo sábado vou tentar tirar uma foto durante uma das posições, porque é muito lindo ver quase 400 pessoas alinhadas, na mesma posição!

Aliás, as 377 pessoas viraram 374. Me falaram que em todo treinamento, por volta de dez pessoas acabam desistindo. Razão número 1: pessoas ricas que acham que vai ser divertido passar nove semanas praticando Bikram Yoga (!!!) e acabam percebendo que isso aqui se parece muito mais com um treinamento militar do que com um relaxante spa. Outros motivos são imprevistos de trabalho e razões pessoais. O detalhe é que, uma vez que você pagou o curso (que é bem caro), você só recebe reembolso até 30 dias antes do início do curso. Depois disso, como disse o próprio Bikram, "I already got your money and I've spent it!"

Voltando à Bikram Village, esta semana, durante a savásana, lembrei de uma dica que um cara que eu admiro muito, o jornalista (e meu chefe na época) Heródoto Barbeiro, me deu para dormir melhor. Ele me disse que eu deveria fechar os olhos e me transportar para qualquer lugar no tempo e começar a construir uma cidade ali. Pensar nas casas, no comércio, na administração, no saneamento básico, nos habitantes, em tudo. E a cada noite, continuar a construção de onde eu tinha parado na noite anterior.

Lembrei disso porque percebi que a Bikram Village realmente está virando uma pequena cidade. Cada vez mais, as pessoas estão personalizando mais seus quartos no hotel (algumas, que moram perto, trazem os cobertores de casa - algo que resolvi fazer também esta semana!), varais improvisados do lado de fora do quarto estão começando a pipocar e o mais legal são as conversas na tenda antes das palestras para resolver possíveis problemas de convivência e moradia.

É neste momento que o Dom (o britânico que lidera os funcionários) sobe ao palco com seu caderno de anotações para dar orientações e tomar nota dos problemas. Os principais problemas desta semana foram a invasão de formigas na tenda de yoga (eu não vi, mas teve gente que nem conseguiu relaxar na savásana com medo de ter formigas sobre o corpo) e a falta de educação de algumas pessoas durante a aula (como assoar o nariz nas toalhas em cima da esteira, esticar os pés para fora da esteira nas posições no chão - o que automaticamente significa enfiar o pé na boca de alguém que está deitado atrás), e usar perfumes fortes.

Durante as anotações do Dom, aparece todo tipo de comentário. Esta semana, um dos alunos tentou iniciar um discurso para alertar todo mundo dos males do Kleenex (os lenços de papel) para o meio-ambiente. Aparentemente, ele mora em uma região (British Columbia, no Canadá) onde a Kleenex supostamente destrói florestas, e o nosso hotel fornece Kleenex nos quartos. O Dom achou todo o assunto irrelevante e não deu bola para o assunto, mas, no dia seguinte, ele disse que tinha se sentido mal de ter "cortado" o rapaz e disse a todos: "É o seguinte, gente: Kleenex faz mal ao meio-ambiente". Daí para frente, cada um toma a atitude que quiser.

Mas o que eu queria mesmo dizer que realmente me sinto em uma pequena cidade tomando vida durante estas "assembléias". O Dom fica ali no palco, anotando as reclamações e dando avisos importantes do dia, como se fosse um prefeito. No dia seguinte, ele volta para anotar outras reclamações e informar em que pé estão os problemas já mencionados. E é muito legal ver que tudo isso funciona, que todos se respeitam, que todos são ouvidos e que todos os problemas são resolvidos, na medida do possível. E não é uma relação de exigência de um lado (dos alunos, que pagaram o curso) e obediência do outro (dos funcionários), é uma relação que flui nas duas direções, pois muitos problemas (como os de etiqueta dentro da sala de yoga) têm de ser resolvidos por nós mesmos. O Dom é somente o meio de informar todos sobre o problema e daí para a frente nós assumimos nossas responsabilidades.

E por enquanto, a cidade está funcionando bem sem o presidente Bikram (ou deveria dizer o "ditador", que não nos deixa dormir :-), mas sem ele nada disso existiria! E todo presidente tem de sair do país de tempos em tempos e deixa a administração nas mãos de pessoas de sua confiança!




Aqui estamos em uma aula de anatomia, com o Dr. P, aprendendo sobre os músculos (aliás, tem teste sobre ossos e músculos na segunda-feira, preciso estudar vááários nomes!)



É assim que as pessoas ficam após a aula: encharcadas, cansadas, mas felizes (pelo menos na maioria das vezes! :-)

2 comentários:

  1. Parabéns! Siga em frente. Estamos aqui acompanhando cada passo e torcendo por você. Beijocas e boas vibrações da sua anja

    ResponderExcluir
  2. Obrigada pela força, minha anja!

    ResponderExcluir